20 de abril de 2024
DestaquePolícia

Homem que causou acidente com morte de bebê enfrenta júri popular em Santa Cruz




Na noite de 21 de junho de 2014, um acidente envolvendo dois veículos na SP-225, entre o pontilhão da Estação e o Parque das Nações, em Santa Cruz do Rio Pardo, resultou em cinco vítimas graves, sendo que uma delas, uma bebê de 1 ano de idade, não resistiu aos ferimentos e faleceu. O homem que causou o acidente, que na época foi acusado de embriaguez ao volante, enfrenta júri popular dia 1° de março, no Fórum de Santa Cruz. Alcides Antonio de Oliveira, 42 anos, responde por homicídio qualificado, que tem pena mínima de 12 anos de prisão.

O acidente mobilizou integrantes da Polícia Militar, Polícia Rodoviária, Bombeiros e do Samu. Segundo consta nos registros da imprensa, o acusado de homicídio conduzia um Ford Versailles sentido Bauru, na rodovia SP-225 (João Batista Cabral Rennó), quando invadiu a pista contrária batendo de frente com o Renault Scenic, que tinha quatro ocupantes: o condutor Pablo Macedo, Cinthia Montalvão, Vivian Campbell Seixas e sua filha Vitória, de um ano de vida. Ambos os carros tinham placas de Santa Cruz do Rio Pardo.     

Na colisão os veículos ficaram destruídos. O motorista do Versailles precisou ser retirado das ferragens pelo Corpo de Bombeiros. Das cinco vitimas, Pablo foi o único com ferimentos leves. Os demais sofreram lesões graves, com fraturas expostas e foram levados à Santa Casa. A bebê, que completaria 11 anos dia 11 de março próximo, foi encaminhada pela UTI Móvel do SAMU até a Santa Casa de Ourinhos com traumatismo craniano. Ela não resistiu e faleceu dez dias depois. 

No Pronto Socorro de Santa Cruz, a médica plantonista atestou em laudo para a Polícia Civil, o visível estado de embriaguez do motorista. Alcides recebeu voz de prisão ainda quando estava internado, chegou a ser preso por lesão corporal e embriaguez ao volante, mas teve liberdade concedida após pagamento de fiança.

Com informações do Repórter na Rua
Fotos: Lucas Pereira




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *