14 de abril de 2024
DestaquesPolícia

Mordidas, lesões e sinais de asfixia no laudo sobre criança morta pelo pai




O laudo feito no Instituto Médico Legal de Marília sobre a morte do pequeno John Soares dos Reis Oliveira Dias, de apenas seis meses, constatou diversas marcas de mordidas pelo corpo, lesões na cabeça e sinais de asfixia. As evidências, junto com a confissão de reiteradas agressões contra o bebê, fizeram com que o desempregado Dorival Soares dos Reis Neto, de 29 anos, fosse preso em flagrante nesta sexta-feira (1º), por homicídio.

Pessoas que tiveram acesso ao laudo sobre a morte do bebê informaram que a criança apresentava marcas de mordidas, sendo algumas mais recentes e outras mais antigas, nos joelhos e nas nádegas, além de outras marcas espalhadas pelo corpo.

A criança chegou a ser levada para o Hospital Materno Infantil, mas após a confirmação da morte, o corpo foi encaminhado para o IML. O exame realizado constatou sinais de asfixia no pulmão e coração, além de ferimentos na cabeça que podem ter sido provocados pelos tapas desferidos pelo pai, segundo sua própria confissão.




Inicialmente, ao ser levado pelos policiais militares para a Central de Polícia Judiciária (CPJ), Dorival Soares dos Reis Neto negava envolvimento na morte da criança. O caso inicialmente estava sendo conduzido pela equipe do plantão policial, mas diante da gravidade da ocorrência, o suspeito foi levado para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e confessou ter agredido o próprio filho.

Segundo a Polícia Civil, ele teria admitido ter praticado, reiteradamente, atos de violência física contra a criança nas últimas semanas. Dorival contou que sexta-feira (01) o choro do filho passou a irritá-lo e então ele teria desferido inúmeros tapas com força contra a cabeça da vítima, além de outros golpes distribuídos pelo corpo.

Ainda conforme o relato, a criança não parava de chorar e então ele a levou para o chuveiro. Posteriormente, o pai acomodou o menino no berço, posicionando-o de barriga para baixo. Não se sabe se Reis Neto teria colocado intencionalmente a cabeça da criança contra o travesseiro e apertado para asfixiá-la, ou se a asfixia se deu em razão das agressões sofridas e da forma como o bebê foi deixado no berço.



Após deixar a criança sozinha no quarto, o acusado continuou a assistir a um filme, só retornando para verificar o filho após o término da exibição. Ao entrar no quarto do bebê, teria percebido que ele não respirava e chamou sua cunhada, que reside no mesmo conjunto de apartamentos, e por sua vez acionou o Samu.

Diante da morte da vítima e dos anteriores atos de agressão física feitos pelo suspeito, além de sua confissão na DIG, Dorival Soares dos Reis Neto foi autuado em flagrante por homicídio qualificado, por motivo fútil, tortura e recurso de impossibilitou a defesa do ofendido. O sepultamento aconteceu às 10h30 de sábado (2) no Cemitério da Saudade.

Com informações
do Marília Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *