4 de março de 2024
DestaquesRegião

Associação Canábica Maria Flor recebe título de “Utilidade Pública” da Câmara de Marília

A Associação Canábica Maria Flor conquistou na noite de segunda-feira (11/12) em sessão ordinária na Câmara Municipal de Marília o Título de Utilidade Pública Municipal, um momento marcante para a entidade.

O título foi proposto pelo Vereador Eduardo Nascimento e contou com apoio e aprovação de toda a bancada presente, que de forma unânime votaram favoráveis ao projeto. Os vereadores usaram da tribuna para relatarem suas relações com a Associação Canábica Maria Flor.

O autor do projeto falou sobre o enfretamento que se dá entre as associações e o lobby da indústria farmacêutica, principalmente com relação ao fornecimento do óleo pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

O vereador Sergio Nechar em sua fala se emocionou quando contou que seu filho Felipe, foi uma das pessoas que ajudou na formação da Associação Canábica Maria Flor e atua no movimento a favor do uso do óleo de cannabis.

“Eu sou médico e posso dizer que realmente o óleo é eficaz, lembro de uma mulher que tinha 40 convulsões por dia e com 4 gotinhas já não tinha mais crises”.

O vereador Júnior Moraes falou dos resultados positivos do tratamento canábico que ele presenciou de uma pessoa com fibromialgia.

“Minha irmã me apresentou uma mulher que sentia tanta dor que não conseguia dormia nem meia hora ao dia, falei com seu marido e ele me contou que depois que tomou o remédio de cannabis teve uma melhora inacreditável, voltou a viver”, contou o vereador.

O vereador Elio Ajeka lembrou da relevância em prol principalmente de crianças especiais, e como a Maria Flor é embasada em atuação legal e científica para fabricação de seus óleos. Vereador Marcos Rezende parabenizou a luta do casal Fernanda e Marcio que iniciaram o projeto de extração do óleo para tratamento medicinal.

No púlpito o vereador Danilo Bigeschi, relembrou a luta desde o início da Associação Canábica.

“Acompanhei a luta de todas as mães ligadas a Maria Flor desde o começo, todo processo de luta e dor” contou o vereador que lembrou ainda dos investimentos do Governo de São Paulo que, somente neste ano, passaram de R$ 26 milhões em compra de óleo de cannabis dos laboratórios.

“O pior é que em muitos casos esses óleos não são eficazes como os das Associações já que elas plantam, extraem e fabricam de forma artesanal e orgânica”, observou Danilo.

Os vereadores Féfin, Evandro Galete, Rogerinho e Vânia também parabenizaram a Associação Canábica Maria Flor pela seriedade e responsabilidade no tratamento de pessoas de forma social e solidária.

Para as diretoras da entidade Fernanda Peixoto, a santa-cruzense Claudia Marin e Silvia Almeida a obtenção desse título proporciona oportunidades para buscar, em parceria com as autoridades públicas, o fortalecimento e a expansão dos serviços prestados pela associação, assim como todas as demais iniciativas de promoção social que já estamos empenhados em realizar.

A ASSOSIÇÃO
Iniciada em 2020 a Associação Canábica Maria Flor em dois anos passou de 2 pacientes para 5 mil associados que fazem tratamento com óleo de cannabis.

“Fazemos um trabalho muito importante de conscientização e orientação sobre os benefícios deste tipo de tratamento, dismistificando os preconceitos sobre a planta da maconha e levando vida para as famílias”, destacou Fernanda, atual presidente da Associação.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *