18 de abril de 2024
AgroDestaques

Estado de São Paulo se torna zona livre de aftosa, diz MAPA

O Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) informou que São Paulo se tornará zona livre de febre aftosa após novembro, quando será a última etapa de vacinação contra a doença. O comunicado foi feito em ofício publicado no último dia 10 enviado ao Governo do Estado de São Paulo.

“É uma conquista de todos os paulistas. A sanidade animal de nosso Estado passa a ter mais uma comprovação de sua excelência. São Paulo poderá buscar mercados cada vez mais rentáveis pela qualidade da carne de área livre sem vacina. Depois de muito trabalho de nosso corpo técnico e do produtor rural, chegamos ao status de livre de febre aftosa sem vacinação”, comemora o secretário de Agricultura e Abastecimento de SP, Antonio Junqueira.

“São Paulo atinge o mais alto status sanitário contra a febre aftosa, fruto de um trabalho de anos de serviço de defesa e parceria com o pecuarista. Novas oportunidades com abertura de novos mercados virão a partir de agora”, comemora Luiz Henrique Barrochelo, médico-veterinário e coordenador da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), responsável pela vigilância contra a enfermidade.

De acordo com o documento, a partir de 1º maio de 2024, animais com origem em zonas livres com vacinação, caso de Roraima, Pará, Amapá, Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Bahia e Rio de Janeiro e parte do Amazonas, não podem ingressar nos Estados que já suspenderam a vacinação.

“Isso será necessário porque o pleito para o reconhecimento internacional de zona livre sem vacinação está previsto para ser apresentado à Organização Mundial de Saúde Animal em agosto de 2024. A previsão de finalização da avaliação será em maio de 2025, cumprindo, então, o prazo de 12 meses sem o uso do imunizante e sem ingresso de animais vacinados nas áreas, conforme definições do Código Sanitário de Animais Terrestres daquele Organismo Internacional”, descreve o ofício.

Para Breno Welter, médico-veterinário e gerente do Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa (PEEFA), a expectativa é que São Paulo avance junto com os demais estados do bloco IV no Plano Nacional, não havendo restrição de trânsito de animais e produtos.

“É importante ressaltar que em novembro teremos campanha e que o produtor deve manter o empenho para mantermos os altos índices, um dos requisitos para a evolução do status”, complementa Welter.

Da Assessoria de Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *